“Classe média está prestes a desaparecer”

18 agosto 2020

À medida que a atual pandemia polariza o sector alimentar, a classe média está prestes a desaparecer, defendeu o CEO da Danone, Emmanuel Faber, numa entrevista à FoodNavigator.

A divisão entre pobres e ricos está a crescer, também na alimentação, e todos os que se encontram na classe média irão deslocar-se para um destes dois extremos.

Economia vs saúde
A crise pandémica catalisou a velocidade das atuais tendências. No caso da alimentação, o consumidor tenderá a prestar mais atenção ao que come e estará disposto a pagar mais por comida de qualidade. Mas a crise também significa que a classe média será fortemente atingida em termos económicos, pelo que terá de se contentar com produtos mais baratos. Esta é a conclusão da Danone com base nos seus próprios resultados desde o início da pandemia, com as vendas de produtos “plant base” a crescerem fortemente e as de água engarrafada a caírem.

Na opinião de Emmanuel Faber, o novo normal irá começar a assentar a partir do próximo ano, pelo que a polarização irá apenas aumentar. A Danone observa duas tendências contrastantes, por um lado, uma crise económica e social e, por outro, um interesse crescente na alimentação saudável.

Escolhas difíceis
Como o início desse novo normal ainda demora alguns meses, Emmanuel Faber quer usar o tempo até lá para procurar novas oportunidades para a Danone, o que, no seu entender, poderá passar por ter de fazer algumas escolhas difíceis. O CEO garante que a empresa deverá ter de vender ou acabar com algumas marcas e procurar novas formas de trabalho, o que significa que os custos terão de ser reduzidos em algumas áreas.

A Danone também considera que a explosão do e-commerce e das vendas diretas ao consumidor são tendências que vieram para ficar, assim como a sustentabilidade. Em setembro do ano passado, a multinacional francesa assinou um pacto de biodiversidade, anunciou um investimento de dois mil milhões de euros em agricultura, economia circular e digitalização, em fevereiro, e lançou uma unidade de aceleração dos produtos baseados em plantas, em maio, com o objetivo de duplicar as vendas.

FONTE: Revista Grande Consumo

 

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.