Posso beber uma meia de leite e comer uma sanduíche de queijo?

22 fevereiro 2019

Perante toda a controvérsia em toro dos benefícios e malefícios do leite, será que o típico consumidor português ainda pode tomar o seu pequeno-almoço ou lanche descansado…

Só sei que nada sei, dirá o consumidor a fim de um dia a tentar ler os milhões de artigos na internet a favor e contra os lacticínios. Um recente inquérito promovido pelo projecto C-The Consumer Intelligence Lab a 300 portugueses entre os 18 e os 30 anos de idade é sintomático da controvérsia, ao apontar que 77% consideram ter cuidados particulares com a alimentação, dos quais 30% evitam ou deixaram mesmo de beber leite.

Clara Cardoso, que coordena o projecto C, fala de uma “elevada permeabilidade dos consumidores à narrativa antileite”, caso das mensagens “somos o único mamífero que bebe leite em adulto” ou “o leite de vaca é para fazer crescer em pouco tempo um bezerro, não um humano”. São mensagens que chocam de frente com as recomendações oficiais da Direcção-Geral de Saúde e das Rodas dos Alimentos Portuguesa ou Mediterrânica. “Consuma lacticínios duas vezes por dia. Dê preferência a lacticínios magros. Estes alimentos contribuem para a boa saúde dos seus ossos”, lê-se no site do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável.

No meio desta polémica, o típico consumidor português talvez só queira saber se ainda pode beber diariamente descansado uma meia de leite e uma sanduiche de queijo, sem medo de apanhar alguma doença grave devido a este hábito alimentar. Foi esta pergunta que o Expresso fez a vários especialistas.

Posso estar descansado?
“Aquilo que os dados científicos mais recentes e credíveis nos permitem afirmar é claramente que sim. A escolha será ainda mais saudável se a meia de leite não tiver açúcar adicionado, o pão for feito com cereal integral e quer o queijo quer o pão tenham um baixo teor de sal”, diz o nutricionista Nuno Borges, lembrando que “é sempre o efeito da dieta como um todo que mais pesa no risco de desenvolvermos doenças”. Este professor universitário acrescenta que “quando falamos de doença cardiovascular ou de cancro, as duas principais causas de morte em Portugal e no resto do mundo, o leite até tem, em algumas situações, um efeito protector. Ou seja, quem consome leite ou os seus derivados queijo e iogurte tem igual ou menor probabilidade de vir a sofrer, por exemplo, de acidente vascular cerebral ou cancro colorretal”.

Um dos argumentos invocados contra o leite é o facto de a Escola de Saúde Pública de Harvard ter limitado as duas porções a dose de lacticínios recomendada por dia, sob pena de uma maior ingestão aumentar o risco do cancro da próstata e, possivelmente, de cancro dos ovários. Mas nem estes médicos de Harvard baniram os lacticínios da sua lista de compras: “Não é necessário beber mais do que um ou dois copos de leite magro ou desnatado por dia. Menos está bem desde que vá buscar cálcio a outras fontes”, lê-se no site.

“Os médico da Harvard são evocados sempre para tudo o que convém”, adverte a médica Isabel do Carmo: “Na Universidade de Harvard há muitos departamentos, muitos médicos e a entidade “os médicos de Harvard” não existe. Há recomendações nacionais nos vários países e elaboradas por comissões de cientistas”. E acrescenta: “Em relação aos EUA, é sempre necessário ter cautela com o Departamento de agricultura que defende por todos os meios a produção nacional de soja”.

Para esta especialista em endocrinologia, diabetes e nutrição, “os adultos devem de beber um a dois copos de leite por dia, mas a partir dos 40 anos de idade é preferível a sua substituição, em parte, por iogurtes e queijos duros. Se necessário, pode procurar-se a riqueza em proteínas e cálcio nos iogurtes, de preferência magros, e no queijo que, se for diário e frequente, é preferível ser magro. As pessoas que suspeitam ter intolerância à lactose podem fazer uma análise simples e não achar que são intolerantes só por quaisquer sintomas, que podem ter origem em gastrite ou colon irritável”.

E quanto aos dentes?
“Quanto à relação entre o leire e a saúde oral, e nomeadamente aos riscos de desenvolver cárie dentária, está mais do que comprovado que o leite é considerado um elemento protetor. Tem também um papel benéfico na doença periodontal”, diz o presidente da mesa do conselho geral da Ordem dos Médicos Dentistas, Paulo Ribeiro de Melo. Este efeito protector do leite é importante nos adultos, sobretudo entre os mais idosos para quem sofre de boca seca (xerostomia).

A nutricionista do Hospital dos Lusíadas, Joana Bernardo, conclui que o consumo diário de meia de leite e da sanduiche de queijo não excede as recomendações para uma alimentação saudável. “Os benefícios do consumo de lacticínios parecem ser maiores do que os prejuízos. Devem ser consumidos diariamente, de forma equilibrada, pois têm uma panóplia de nutrientes que são difíceis de obter em quantidades suficientes numa dieta que os exclua na totalidade”.

Quanto custa banir o leite?
De facto, não é fácil nem barato encontrar tanto cálcio ou proteínas em dietas alternativas. Para obter um grama de cálcio é hoje preciso comprar no supermercado €0,56 de leite meio-gordo, €0,76 de iogurte natural, €0,84 de couve-galega, €0,98 de queijo flamengo, €1,88 de skyr natural, €2,04 de queijo fresco magro, €2,97 de brócolos, €3,01 de amêndoas, €3,40 de laranjas ou €9,90 de salsa.

O preço por 100 gramas de proteína também sobe de €1,97 no leite meio-gordo para €2,05 nos ovos, €2,12 no grão-de-bico, €2,28 no feijão manteiga, €2,91 no queijo flamengo, €3,34 no bife de vaca, €4,70 na bebida vegetal de soja, €5,42 no skyr natural, €5.90 no iogurte natural, €5,94 no queijo fresco magro, €7,06 no peixe, €8,80 no tofu ou €193,20 na bebida vegetal de arroz.

… que o leite ajuda a dormir melhor?
A “culpa” é do triptofano que está ligado à serotonina e por sua vez à melatonina e, logo, ao sono. Mas para o truque resultar importa que o leite seja bebido morno e acompanhado de uma fonte de hidratos de carbono.

… que a maioria do leite produzido na União Europeia é transformado em queijo?
Segundo o Eurostat, 37% do leite das vacas europeias destinam-se a produzir queijo, 30% para fazer manteiga, 13% natas e 11% para o leite que os europeus bebem.

… as vacas produzem mais leite se ouvirem músicas com menos de 100 batidas por minuto?
Segundo os investigadores da Universidade de Leicester, é o caso de musicas como “Everybody Hurts” dos REM ou “Perfect Day” de Lou Reed.

… que o leite preferido dos portugueses é o leite meio-gordo?
Este leite parcialmente desnatado tem um teor de matéria gorda entre 1,5% e 1,8%. O leite gordo ou leite inteiro tem o dobro (3,5% ou mais) e o leite magro ou desnatado um terço (até 0,5%).

… Portugal produziu dois milhões de toneladas de leite em 2017?
Segundo dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística, a esmagadora maioria da produção foi de leite de vaca, representado 95%, contra 4% de leite de ovelha e 1 % de leite de cabra.

FONTE: Expresso

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline