Produção de leite mantém volume em 2017

24 julho 2018

A produção total de leite em 2017 apresentou, em termos globais, uma manutenção relativamente a 2016, segundo a edição de 2017 das “Estatísticas Agrícolas” do Instituto Nacional de Estatística (INE). A produção de manteiga aumentou 4,1%, com as exportações de manteiga nacional a crescerem 40% em valor.

O leite de ovelha (71,1 milhões de litros) registou um volume inferior em 1,7%, enquanto o leite de cabra (24,9 milhões de litros) decresceu 2,8%. O volume de leite de vaca (1 867 mil litros) apresentou praticamente uma manutenção face a 2016 (+0,1%).

Esta situação relativa ao leite de vaca é reflexo de dois períodos evolutivos distintos, dizem os técnicos do INE. Por um lado, as variações mensais negativas da produção em Janeiro e Fevereiro, reflexo das medidas de incentivo à redução da oferta de leite (programa de redução voluntária de produção de leite da UE entre Outubro de 2016 e Março de 2017).

A partir de Março de 2017, a tendência foi de aumentos homólogos mensais crescentes, para os quais contribuiu a subida dos preços médios pagos à produção.

Efeitos da seca
Os efeitos da seca, relevantes no desenvolvimento das culturas forrageiras de Outono/Inverno, tiveram algum efeito nos custos de produção, resultantes da procura de alternativas de alimentação mais onerosas, mas sem consequências significativas nos respectivos níveis produtivos.

A produção industrial de lacticínios em 2017 reflectiu as condições de mercado. Assim, a produção de manteiga aumentou 4,1%, com uma produção de 32 mil toneladas, facto ao qual não foi alheia a crise que se gerou em França em 2017, onde a quebra da produção leiteira conduziu a uma rotura de stocks de manteiga e fez disparar o preço deste produto.

Esta circunstância resultou numa valorização assinalável da manteiga nacional exportada (+40% em valor, face a 2016) e consequentemente num incentivo à sua produção.

Produção de queijo cresce 3,7%
A produção total de queijo cresceu 3,7%, com cerca de 83 mil toneladas. Esta evolução resultou da maior produção de queijo de vaca, que, com 62 mil toneladas, aumentou 4,3%, de queijo de cabra que apresentou um acréscimo de 21,5%, fixando-se a produção nas 2,9 mil toneladas e de queijo de mistura, que atingiu as 6,0 mil toneladas, ou seja mais 1,7% face a 2016.

O nível de produção do queijo estreme de ovelha registou uma diminuição de 1,7%, com 11,8 mil toneladas em 2017.

Já o volume de produtos lácteos frescos não apresentou uma variação expressiva em relação a 2016, uma vez que a produção de leites acidificados (que inclui os iogurtes) baixou 4,5% face ao ano anterior, não tendo ultrapassado as 106 mil toneladas, mas a produção de leite para consumo foi superior em 0,6%, com 714 mil toneladas produzidas.

FONTE: Agricultura e Mar Actual

 

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.