O trabalho destas cabras é comer ervas invasoras

27 setembro 2017

Max, Cinnamon, Swirl e Unicorn "trabalham" na reabilitação de um parque em Brooklyn, Nova Iorque. São uma solução "altamente produtiva", "amiga do ambiente" e gulosa — num só turno comem 25 quilogramas de ervas invasoras

O Prospect Park Alliances tem quatro trabalhadores prestes a ganhar o título de “funcionário de Verão” — isto enquanto se deliciam com ervas invasoras e fazem as delícias dos visitantes do parque em Brooklyn, Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA).

São quatro cabras: Max, uma cabra pigmeu preto que voltou a ser contratada depois do ano passado ter trabalhado no parque e três novas recrutas; Cinnamon, Swirl e Unicorn, todas toggenburgs, uma raça suíça conhecida pela sua produtividade. As cabras foram criadas numa quinta em Nova Iorque, a Green Goats, especializada no restauro de paisagens.

Durante tempestades como o furacão Sandy, que fustigou, em 2012, a costa leste dos EUA, “mais de 500 árvores caíram ou ficaram danificadas” ao longo do parque, “permitindo que ervas invasoras proliferassem e dominassem o bosque”, lê-se no site da instituição. Este ano, as cabras vão trabalhar — que é como quem diz vão pastar — num canto a norte, onde mais de 50 árvores foram destruídas.

“O restauro do bosque foi sempre um dos focos do Alliance”, disse a presidente do parque, Sue Donoghue. “As cabras permitem uma abordagem amiga do ambiente e ajudam-nos a proteger melhor o parque contra tempestades futuras”.

Das principais qualidades dos animais destacam-se a sua “habilidade para escalar” e o facto de “não serem esquisitas com o que comem”. “Têm quatro compartimentos gástricos e conseguem consumir 25 por cento do seu peso em vegetação, todos os dias”, dizem os responsáveis do parque. Além disto, comem as ervas até à raiz, o que força as plantas a usarem toda a sua energia para crescerem novos rebentos. Tudo para depois as cabras os comerem outra vez, “e outra vez, até a planta ficar sem energia e morrer”, explicam.

Quando não houver estas ervas invasoras, o Prospect vai plantar “novas árvores nativas” e arbustos, o que contribuirá para criar “um habitat para pássaros e outras espécies de vida selvagem”, espera a equipa do parque.

FONTE: Público P3

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Calendário

Redes Sociais

Top
Cookies make it easier for us to provide you with our services. With the usage of our services you permit us to use cookies.
More information