O trabalho destas cabras é comer ervas invasoras

27 setembro 2017

Max, Cinnamon, Swirl e Unicorn "trabalham" na reabilitação de um parque em Brooklyn, Nova Iorque. São uma solução "altamente produtiva", "amiga do ambiente" e gulosa — num só turno comem 25 quilogramas de ervas invasoras

O Prospect Park Alliances tem quatro trabalhadores prestes a ganhar o título de “funcionário de Verão” — isto enquanto se deliciam com ervas invasoras e fazem as delícias dos visitantes do parque em Brooklyn, Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA).

São quatro cabras: Max, uma cabra pigmeu preto que voltou a ser contratada depois do ano passado ter trabalhado no parque e três novas recrutas; Cinnamon, Swirl e Unicorn, todas toggenburgs, uma raça suíça conhecida pela sua produtividade. As cabras foram criadas numa quinta em Nova Iorque, a Green Goats, especializada no restauro de paisagens.

Durante tempestades como o furacão Sandy, que fustigou, em 2012, a costa leste dos EUA, “mais de 500 árvores caíram ou ficaram danificadas” ao longo do parque, “permitindo que ervas invasoras proliferassem e dominassem o bosque”, lê-se no site da instituição. Este ano, as cabras vão trabalhar — que é como quem diz vão pastar — num canto a norte, onde mais de 50 árvores foram destruídas.

“O restauro do bosque foi sempre um dos focos do Alliance”, disse a presidente do parque, Sue Donoghue. “As cabras permitem uma abordagem amiga do ambiente e ajudam-nos a proteger melhor o parque contra tempestades futuras”.

Das principais qualidades dos animais destacam-se a sua “habilidade para escalar” e o facto de “não serem esquisitas com o que comem”. “Têm quatro compartimentos gástricos e conseguem consumir 25 por cento do seu peso em vegetação, todos os dias”, dizem os responsáveis do parque. Além disto, comem as ervas até à raiz, o que força as plantas a usarem toda a sua energia para crescerem novos rebentos. Tudo para depois as cabras os comerem outra vez, “e outra vez, até a planta ficar sem energia e morrer”, explicam.

Quando não houver estas ervas invasoras, o Prospect vai plantar “novas árvores nativas” e arbustos, o que contribuirá para criar “um habitat para pássaros e outras espécies de vida selvagem”, espera a equipa do parque.

FONTE: Público P3

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline