Como serão os sistemas alimentares do futuro?

24 abril 2019

É preciso “trabalhar em conjunto para criar uma sociedade mais saudável e sustentável”. Esta é a principal conclusão da 4ª edição da Conferência Portugal Saudável, uma iniciativa da Missão Continente que juntou personalidades da academia, da política, da saúde, do retalho e da comunicação para debater sistemas de alimentação sustentáveis, capazes de conciliar saúde, ambiente e economia.

Corinna Hawkes, Diretora do Centre for Food Policy da Universidade de Londres, destacou a possibilidade de co-benefícios para todos os atores envolvidos nos sistemas alimentares. No entender da académica britânica, estas metas podem ser atingidas não só através da colaboração entre governos e setores, bem como mediante a adoção de uma moldura legislativa incentivadora.

Ao apresentar os resultados do relatório encomendado pelo Conselho da União Europeia, Corinna Hawkes mencionou a importância da contratação pública, da Política Agrícola Comum, de sistemas de distribuição de frutas e legumes nas escolas, em redes de distribuição de pequena dimensão e no desenvolvimento de capacidades dos vários intervenientes do sistema alimentar.

Já Ruth Osborne, fundadora da consultora Retired Hen e mentora do restaurante desperdício zero ReTaste, em Estocolmo, explicou como é que contraria a tendência da restauração para o desperdício alimentar, ao criar ementas com excedentes alimentares recolhidos de supermercados.

O encerramento da conferência esteve a cargo do Secretário de Estado da Defesa do Consumidor. João Torres defendeu que “a promoção da alimentação saudável contribui para um crescimento económico mais inteligente, mais sustentável e mais inclusivo”, sendo que esse crescimento pode ser estimulado “através da disponibilização de ferramentas digitais aos agricultores, da utilização de métodos e processos que visem a sustentabilidade ambiental, a preservação da biodiversidade e a redução do desperdício, alavancando o potencial da economia circular e da bioeconomia.”

FONTE: Revista Grande Consumo

 

 

 

 

 

 

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline