Centro de Competências para a Dieta Mediterrânica

24 agosto 2018

No dia 14 de agosto realizou-se a primeira Assembleia Geral do Centro de Competências para a Dieta Mediterrânica (CCDM), com o objetivo de eleger o Presidente e Secretários da Assembleia Geral, aprovar o Regulamento Interno do CCDM  e a metodologia de trabalho para a elaboração da Agenda de Investigação e Inovação do CCDM.

O Governo assinou a 19 de Outubro um protocolo para a criação do Centro de Competências para a Dieta Mediterrânica (CCDM). Este protocolo já foi subscrito por mais de 20 entidades.

A missão do CCDM será «agregar os diferentes agentes e intervenientes com responsabilidades na investigação, preservação, valorização, divulgação e promoção da dieta mediterrânica em Portugal». Pretende-se assim que contribua «activamente para a maior implantação e enriquecimento da mesma e para a respectiva preservação enquanto herança cultural identitária portuguesa, um estilo de vida e um padrão alimentar de excelência e importante factor de desenvolvimento dos territórios rurais».

A dieta mediterrânica consiste num «conjunto de competências, conhecimentos, práticas e tradições relacionadas com a alimentação humana, que vão da terra à mesa, abarcando as culturas, as colheitas e a pesca, assim como a conservação, transformação e preparação dos alimentos e, em particular, o seu consumo». Em 2013, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) reconheceu a dieta mediterrânica como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Em paralelo, o Governo assinou um outro protocolo, para criar o Centro de Competências na Luta Contra a Desertificação (CCDesert), que visa procurar soluções para o problema do esvaziamento do interior do País. Esta entidade, com competências de âmbito nacional, reúne cerca de 30 parceiros e vai ficar sediada em Alcoutim. A sua missão é «promover o desenvolvimento e sustentabilidade do combate à desertificação pela via do reforço da investigação, da formação, da capacitação, da promoção da inovação e da transferência e divulgação do conhecimento».

FONTE: Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural - DGADR/TSF

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline