Volume do comércio mundial de mercadorias aumentará 8%

08 abril 2021

As perspetivas para a recuperação do comércio mundial melhoraram após a expansão do comércio de mercadorias mais rápida do que o previsto no segundo semestre de 2020. Deste modo, segundo as novas estimativas da Organização Mundial do Comércio (OMC), o volume do comércio mundial de mercadorias deverá aumentar 8%, em 2021, após ter diminuído 5,3%, no ano passado.

As perspetivas a curto prazo não refletem, contudo, as disparidades regionais, a debilidade persistente no comércio de serviços e as demoras nos planos de vacinação, em particular, nos países mais pobres. A Covid-19 continua a representar a maior ameaça à evolução do comércio, já que as novas vagas poderão facilmente frustrar a recuperação. “O sólido restabelecimento do comércio mundial, desde meados do ano passado, ajudou a suavizar o golpe da pandemia para as pessoas, as empresas e as economias. Será essencial manter os mercados internacionais abertos, para que as economias possam recuperar desta crise e o abastecimento rápido, global e equitativo de vacinas é um requisito prévio para a recuperação sólida e sustentada de que todos necessitamos”, indica Ngozi Okonjo-Iweala, diretora geral da OMC.

Cenários para o comércio
As previsões mostram distintos cenários para o comércio. No cenário otimista, a produção e difusão das vacinas aceleraria, o que permitiria aliviar as medidas de restrição. Este cenário acrescentaria um ponto percentual ao crescimento do PIB mundial e cerca de 2,5 pontos percentuais ao crescimento do volume do comércio mundial de mercadorias, em 2021. O comércio regressaria à tendência anterior à pandemia, no quarto trimestre.

No cenário pessimista, a produção de vacinas não seria suficiente para satisfazer a procura, ou apareceriam novas variantes do vírus para as quais as vacinas seriam menos eficazes. Este cenário tiraria um ponto percentual ao crescimento do PIB mundial, em 2021, e quase dois pontos percentuais ao crescimento do comércio.

2020 melhor que o previsto
Em 2020, o comércio de mercadorias reduziu 5,3%. Esta diminuição é menor do que a descida de 9,2% prevista no anterior prognóstico da OMC, divulgado em outubro. Os resultados melhor do que os esperados podem ser explicados, em parte, pelo anúncio de novas vacinas contra a Covid-19 em novembro, que contribuiu para melhorar a confiança das empresas e dos consumidores.

Os efeitos da pandemia sobre o volume do comércio de mercadorias variaram consoante as regiões, se bem que a maioria registou descidas acentuadas tanto nas exportações, como nas importações. A Ásia foi a única exceção, com um aumento do volume de exportação de 0,3% e uma queda no volume de importação de 1,3%.

FONTE: Revista Grande Consumo

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.