“Para retalhistas e fabricantes, esta solução acrescenta eficiência”

05 janeiro 2021

Tal como qualquer cidadão possui o seu cartão de identificação, a partir de agora, também qualquer produto poderá ter o seu bilhete de identidade no qual estarão identificados até sete atributos. Tudo a bem da transparência, da eficiência operacional e logística e da prevenção da contrafação, admite João de Castro Guimarães, diretor-executivo da GS1 Portugal.

Os produtos podem, a partir de agora, ser identificados, tal como qualquer cidadão. Em vez do Cartão de Cidadão, é o Bilhete de Identidade do Produto que atribui GTIN, marca, descrição do produto, imagem, categoria, peso líquido e país de venda. A informação é da responsabilidade dos brand owners, tratando-se, nesta fase, de uma solução B2B.

Num seminário da GS1 Portugal, no início de 2020, foi apresentado o Bilhete de Identidade do Produto. Do que falamos, especificamente, quando o tema é o BI de um produto?
Quando se fala de Bilhete de Identidade de Produto estamos a referir-nos a uma solução desenvolvida pela GS1, a nível global, que capacita as sociedades e a atividade económica, em particular, para desígnios e prioridades estruturantes, de que a inovação e a sustentabilidade são exemplo.
O Bilhete de Identidade de um produto permite identificá-lo univocamente, a nível global, atestando, para além da respetiva identidade, também até sete atributos – GTIN, o código que identifica um artigo inequivocamente de maneira única e universal; marca; descrição; imagem do produto; categoria; peso líquido e país de venda.
Esse âmbito global é-lhe garantido pelo registo desses dados numa plataforma internacional, harmonizada, a Registry Platform.
A GS1 Portugal está a dar um contributo decisivo, pioneiro, reconhecido internacionalmente, para esta harmonização global. No final de julho concluímos com distinção a certificação “Activate Grade” da nossa plataforma local de registo de dados, RNC – Registo Nacional de Códigos. Este processo de certificação, liderado por uma entidade auditora internacional independente, reconhece que dotámos esta plataforma de novas funcionalidades que oferecem garantias acrescidas de qualidade na captação e armazenamento dos dados de produto e que permitem a respetiva partilha. Com esta certificação e a ativação das novas funcionalidades, estamos em condições de disponibilizar acesso à Registry Platform, com base na qual é possível partilhar o bilhete de identidade do produto. A análise de conformidade deste registo dará origem a um serviço de verificação que começaremos a disponibilizar no final de 2020, o ‘Verified by GS1’.

No que consiste o ‘Verified by GS1’?
O ‘Verified by GS1’ é uma solução que permite confirmar a identidade de um produto e até sete atributos, nomeadamente, GTIN, marca, descrição do produto, imagem, categoria, peso líquido e país de venda. No contexto destes sete atributos permita-me explicar que GTIN – Global Trade Item Number, é um elemento fundamental na identificação harmonizada de produtos. Um GTIN, é um código que identifica um artigo inequivocamente de maneira única e universal. Serve para identificar qualquer unidade ou item comercial, que necessite de ser valorizado, solicitado ou faturado em qualquer ponto da cadeia de abastecimento, e nesse sentido, que exija o acesso a informação predefinida em algum sistema de informação. Daí a centralidade deste atributo para este projeto.
Para a GS1, a nível global, a implementação de uma solução de verificação como o ‘Verified by GS1’ exige o carregamento de todas as licenças já emitidas, o histórico e a operacionalização do processo de carregamento de 3-7 atributos de todos os produtos, no âmbito de um processo de garantia da qualidade de dados.

Certificação extra
Entretanto, a GS1 Portugal obteve recentemente a certificação ‘Activate Grade’, no âmbito de um processo liderado por uma entidade auditora internacional independente. No que consiste esta certificação?
A certificação ‘Activate Grade’ foi um passo determinante no processo de garantia de acesso à Registry Platform, a plataforma global, harmonizada, de dados, a que todos os associados da GS1 Portugal podem agora ter acesso. Nesse sentido, foi também fulcral à disponibilização do serviço ‘Verified by GS1’, que assentará no acesso a essa plataforma. São fases de um mesmo processo em que o elemento fundamental, a pedra basilar, é a nossa plataforma de registo de dados – RNC-Registo Nacional de Códigos cuja infraestrutura e sistema foram otimizados para permitir a partilha e migração de dados para a Registry Platform, garantindo a respetiva visibilidade a nível global.

A certificação obtida pela GS1 Portugal permitirá certificar ou obter o BI do produto com os mesmos atributos, ou seja, para além da identidade, também GTIN, marca, descrição, imagem do produto, categoria, peso líquido e país de venda?
A certificação obtida garante que a GS1 Portugal dispõe de uma plataforma que permite registar e partilhar os dados que integram o “bilhete de identidade do produto” nomeadamente, a respetiva identidade e ainda até sete atributos – GTIN, o código que identifica um artigo inequivocamente de maneira única e universal; marca; descrição; imagem do produto; categoria; peso líquido e país de venda, como referiu. Essa certificação garante também que, com autorização dos brand owners, esses dados podem ser integrados numa plataforma global e harmonizada, que lhes dá visibilidade internacional.

Quando é que as empresas, em Portugal, poderão recorrer a este BI e quais os procedimentos a seguir?
A funcionalidade de criação do BI de produto, através do respetivo registo, já está totalmente disponível. Os brand owners já podem aceder à plataforma RNC e criar o BI dos seus produtos.
A plataforma é de muito fácil navegação e o registo, a criação do BI de produto, pelo feedback que temos dos associados, é muito intuitivo, permite proceder ao registo de forma autónoma. Portanto, na perspetiva de utilizador, a emissão ou registo de BI de produto já está totalmente acessível. A consulta de dados, com visibilidade global, estará disponível no início de 2021. Até lá, estamos a proceder ao processo de integração global de dados na Registry Platform o que é, como facilmente se compreenderá, um processo exigente, mas que marca uma nova era na gestão de dados de produto, a nível global.

Que mais-valias traz esta solução, tanto para retalhista, fabricante e consumidor?
Para retalhistas e fabricantes, esta solução acrescenta eficiência nos processos, desde logo, na listagem e deslistagem de produtos. É absolutamente transformacional para as dinâmicas da cadeia de valor que os brand owners disponham de um único local, uma única plataforma onde podem listar produtos e que garante a respetiva verificação. Note-se, por exemplo, que a plataforma permite garantir que um GTIN foi corretamente construído e que não dispõe de duplicações no sistema.
Para além disso, permite verificar se o GTIN atribuído está de acordo com a licença que é da responsabilidade do brand owner. Todos estes aspetos são contributos determinantes para a transparência, eficiência operacional e logística, bem como para a prevenção da contrafação pela verificação da conformidade dos produtos com os dados reportados à plataforma, no respetivo bilhete de identidade. Há, também, uma componente de otimização das oportunidades de negócio não despicienda, uma vez que a possibilidade de partilha global dos dados, oferece uma visibilidade sem precedentes, isto é, a capacidade de qualquer empresa portuguesa, independentemente da sua dimensão, ser visível para retalhistas nacionais e internacionais com o mesmo esforço.
Em termos da experiência do consumidor, o sistema em que a plataforma assenta não prevê que os consumidores tenham acesso. De qualquer forma, os consumidores sentirão certamente o impacto indireto da eficiência gerada pela plataforma.

Existe alguma forma de possuir uma identificação do produto, mas não uma verificação? Ou seja, uma coisa significa, obrigatoriamente, a outra?
Quaisquer produtos, quaisquer dados registados na plataforma RNC, dispõem sempre de uma verificação de conformidade do GTIN, do código que identifica um artigo inequivocamente de maneira única e universal, com a empresa que os está a gerar. O que a autorização de partilha dos dados na Registry Platform, e subsequente subscrição do serviço ‘Verified by GS1’ vai permitir, é um escrutínio mais alargado aos demais atributos. Essa subscrição é opcional, mas, pelos motivos anteriormente enunciados, só lhe reconhecemos vantagens.

Sinergias de valor
Qual a validade desta identificação e verificação do produto?
A identificação de produto e respetiva verificação são válidas enquanto o produto se mantiver no mercado com os mesmos dados. Da mesma forma que as alterações aos produtos e respetivos dados são da responsabilidade dos fabricantes, o mesmo racional se aplica à alteração do respetivo BI.

A identificação e verificação do produto é global ou específica para cada mercado/país?
A identificação e a verificação do produto são globais e colocam numa única plataforma todos os dados, dependendo de autorização dos brand owners.

Quais as categorias de produtos e/ou artigos abrangidos pelo ‘Verified by GS1’?
O ‘Verified by GS1’ é um serviço transversal a todas as categoriais e produtos.
Atendendo a que a maioria dos associados da GS1 Portugal opera no setor alimentar, existe uma preponderância relevante de BI de produto desse setor.

Que informações podem ser dadas através do acesso ao BI do Produto? Essa informação é estanque ou pode ser atualizada e complementada? E quem é que a atualiza?
Neste registo há, essencialmente, elementos estanques, ou seja, requisitos obrigatórios, informação imprescindível relativa aos sete atributos que garante a uniformização global da plataforma. Há apenas dois campos com informação complementar de caráter local, que mantivemos para referência dos utilizadores, no processo de registo, mas que não migram para a Registry Platform: um campo de caráter administrativo, o código interno; outro com impacto logístico relevante, a tipologia, que permite detalhar se se trata de uma unidade, caixa ou palete. Todos são atualizáveis. Qualquer atualização de dados é da responsabilidade dos brand owners, mas, neste como em todos os outros serviços que prestamos, a GS1 Portugal dispõe de um Serviço de Apoio ao Associado que poderá colaborar com os brand owners no processo de registo ou atualização.

A aplicabilidade do BI do Produto é somente para o retalho e fabricantes ou é extensível a outras atividades como, por exemplo, a logística?
No que se refere em particular à logística, não se trata de uma extensão – trata-se de um impacto direto, imediato deste processo: a eficiência logística é um dos maiores benefícios da adoção do BI de produto. Pense-se, por exemplo, nos ganhos inerentes ao fim de listagens desatualizadas, de artigos “deslistados” que, por vezes, ainda apareciam em sistema como “em stock. A integração sinérgica destas soluções vai permitir uma mais eficaz ligação de todos os elos da cadeia de valor.

Que fabricantes e retalhista já aderiram ao BI do Produto?
Em Portugal, os utilizadores da plataforma RNC- Registo Nacional de Códigos já iniciaram o processo de emissão do BI dos seus produtos, no âmbito de um processo que teve início com a certificação Activate e com a possibilidade de integrarem a Registry Platform. Já contamos com 511 empresas na Registry Platform e 17292 produtos enviados.

FONTE: Revista Distribuição Hoje

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.