Marca Açores é reconhecimento da qualidade da produção regional

04 fevereiro 2020

O Vice-Presidente do Governo considerou recentemente, na Graciosa, que as empresas e as marcas regionais que ostentam o selo Marca Açores – Certificado pela Natureza estão a “contribuir, de forma significativa, para a dinamização da economia, para o aumento do emprego e também para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)”, afirmando que “este é o resultado do trabalho que tem sido feito ao longo dos últimos cinco anos, desde a criação deste selo de origem, em 2015, para a promoção dos produtos açorianos, com valorização no mercado interno e capacidade concorrencial nos mercados internacionais”.

Sérgio Ávila, que falava na cerimónia comemorativa do 5.º aniversário da Marca Açores, promovida pela entidade coordenadora da marca, a SDEA – Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, que decorreu no Monumento Natural da Caldeira da Graciosa, sublinhou que “tem sido precisamente esta importante noção de trabalho e esforço corporativo que tem permitido alcançar bons indicadores económicos”.

Neste sentido, referiu que os dados apenas são possíveis porque “carregam o contributo ativo de mais de 200 empresas aderentes, que ostentam nos seus mais de 3.600 produtos, serviços e estabelecimentos o selo Marca Açores – Certificado pela Natureza”.

“Podemos afirmar que a riqueza de uma Região assenta nos recursos endógenos que possui e na forma como os explora. Os Açores têm conseguido de forma exemplar estruturar o seu tecido económico em muitos desses recursos”, frisou Sérgio Ávila.

Isto significa, acrescentou o Vice-Presidente, que “os produtos açorianos, quer sejam os tradicionais bens transacionáveis, como a carne, os lacticínios ou o atum, entre outros, quer sejam os serviços, como o turismo, diferenciam-se dos demais concorrentes diretos por serem oriundos de uma Região com uma pegada ecológica de elevado valor ambiental e livre de produtos geneticamente modificados”.

A aposta da Marca Açores, salientou Sérgio Ávila, além das inúmeras distinções no país e no estrangeiro, passa também, e sobretudo, pelo reconhecimento da qualidade da produção regional a nível interno.

“Só tendo em cada um de nós esta perceção clara podemos, juntos, de forma coerente e consistente ser mais competitivos e afirmarmos a nossa dimensão qualitativa num mundo cada vez mais globalizado e num mercado cada vez mais exigente quanto a matérias como a qualidade, a segurança alimentar e a sustentabilidade de modos de produção”, afirmou.

Sérgio Ávila lembrou que foi na ilha Graciosa que a Marca Açores teve a sua primeira adesão – as Queijadas da Graciosa -, justificando assim a escolha do local para a realização desta primeira gala que, marca o quinto aniversário desta “importante estratégia para a consolidação da exportação de produtos, serviços e estabelecimentos que se constituem já como base da economia dos Açores”.

Na ocasião, foram distinguidas com este galardão duas dezenas de empresas de vários setores de atividade.

FONTE: Açores24

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.