Lidl Portugal exporta 148,5 milhões de euros de produtos nacionais

31 outubro 2019

Azeite, bacalhau, pera rocha, vinhos, leguminosas, salgados, pão, pastelaria e piri-piri são alguns dos produtos mais exportados através da cadeia retalhista germânica.

O Lidl Portugal exportou 148,5 milhões de euros de produtos nacionais para os 30 países em que a cadeia retalhista alemã está presente.

Este valor, relativo ano fiscal entre março de 2018 e fevereiro de 2019 “compara com os cerca de 100 milhões de euros de exportações do ano anterior e com os cerca de 70 milhões de euros do ano fiscal de 2016, o que quer dizer que em dois anos conseguimos mais do que duplicar o valor de exportações de produtos portugueses”, destacou Bruno Pereira, administrador de compras do Lidl Portugal, num encontro realizado com jornalistas, em Lisboa.

Leguminosas, azeite, bacalhau, salgados, pão, piri-piri, pera rocha são alguns dos produtos mais exportados através do Lidl Portugal.

Os principais mercados dos produtos portugueses exportados pela cadeia retalhista germânica são a própria Alemanha e os ‘mercados da saudade’, constituídos pela França, Suíça e Luxemburgo.

Para as exportações, o Lidl Portugal trabalha neste momento com 86 fornecedores nacionais, num cabaz de 206 produtos.

O grupo começou a contabilizar as exportações de produtos nacionais em 2015.

“O apoio à produção nacional é um compromisso permanente do Lidl Portugal. Estas exportações foram dirigidas para os 30 países em que o Lidl está presente, com mais de 10.600 lojas”, assegurou Bruno Pereira.

Vinhos, azeite, bacalhau
Este responsável destacou que, “em relação ao ano passado, uma nova geografia, porque, neste momento, estamos a exportar, com presença permanente em loja, vinho verde para os Estados Unidos, um continente onde começámos recentemente”.

“Nos vinhos, também exportámos numa acção promocional para os Estados Unidos, cerca de 20 mil garrafas de tinto do Douro, da nossa marca própria Azinhaga de Ouro. No total, exportámos cerca de três milhões de garrafas de vinho, de todas regiões do país, exceptuando os Açores, sendo que cerca de 50% são das nossas marcas próprias e os restantes 50% das marcas dos distribuidores”, adiantou aquele responsável.

“Nas exportações, existe uma variedade grande do portefólio de artigos”, mas “o destaque vai para o azeite”, referiu o administrador do Lidl Portugal.

“Neste último ano fiscal, exportámos mais de 24 milhões de litros de azeite, um crescimento de 9%, com exportações para 22 países. Desta forma, reforçámos a nossa parceria existente com a Sovena, o maior operador nacional do setor, uma parceria que começou a ser acompanhada pelos nossos colegas da sede, na Alemanha. Passámos de cerca de 22 milhões de litros para 24 milhões de litros. Neste caso, a Sovena produz para a marca própria do Lidl. Como embaixadores dos produtos portugueses, no caso do sucesso do azeite ficamos muito felizes por sermos competitivos em relação a duas grandes potências do setor, como a Espanha ou a Itália. Portugal está cada vez mais na moda, o aumento do turismo ajuda-nos. Mas Portugal é também cada vez mais reconhecido como local de origem de produção certificada de azeite de qualidade”, justificou Bruno Pereira.

A seguir ao azeite, o bacalhau: “no ano passado, exportámos 115 toneladas de bacalhau, com particular incidência nos mercados de França, Suíça, Bélgica, Áustria e Suécia”, revelou o responsável.

Segundo o administrador do Lidl Portugal, “exportámos cerca de 800 mil embalagens de salgados – pastéis de bacalhau, croquetes de alheira – para os mercados da Europa e também dos Estados Unidos”, além de, “no âmbito de uma acção temática, a Sol & Mar, para promoção de produtos ibéricos, termos exportado 2.500 embalagens de pastéis de bacalhau para os EUA”.

Leguminosas, pão, pastelaria
“Nas leguminosas, em que o grão é o produto mais emblemático, mas também o feijão frade, registou-se um aumento das exportações de 33%, para um total de 18,6 milhões de embalagens, para 24 países”, acrescentou Bruno Pereira.

Segundo o administrador do Lidl Portugal, “o pão é outra categoria de negócio em extraordinário crescimento”.

“No último ano fiscal, exportámos 28 milhões de pães, o que representa uma duplicação face ao ano fiscal de 2016. Um dos produtos icónicos nesta categoria é a broa de milho, assim como pão da Avó. Estes produtos são exportados congelados e os principais mercados são Espanha e o Luxemburgo”, explicou.

“Exportámos também cerca de oito milhões de artigos diversos de pastelaria, também principalmente para Espanha e Luxemburgo. Este é um artigo novo. No último ano fiscal, exportámos cerca de 250 mil pastéis de nata, um valor inicial que queremos reforçar, mais para o Luxemburgo”, assinalou o administrador do Lidl Portugal.

Das frutas e legumes ao piri-piri
Outros dos pontos fortes da exportações de produtos nacionais por parte da cadeia retalhista alemã é a categoria de frutas e legumes, em que foram ultrapassadas as 15 mil toneladas, para todo o mercado europeu.

“O artigo estrela é a pera rocha, com exportações de cerca de 10,8 mil toneladas. Mas também se registaram exportações de 2,7 mil toneladas de frutos vermelhos e de 1,3 mil toneladas de couve coração, um produto que correspondeu a um repto lançado pelo ex-ministro da Agricultura há cerca de dois anos”, revelou Bruno Pereira.

O administrador do Lidl Portugal disse ainda que se atingiram exportações de cerca de um milhão de garrafas de piri-piri, para cerca de 20 países europeus, “um produto que tem tido uma evolução estável”.

Conservas de atum ainda sem exportações
Sobre a parceria com a conserveira açoriana Santa Catarina, Bruno Pereira assegurou que “mantemos a nossa parceria”. “Continua a ser um parceiro nosso, continuamos a apoiar a fábrica nos Açores, disponibilizando as suas conservas de atum nas nossas lojas em Portugal, mas ainda não reunimos condições para exportar”, admitiu o responsável.

“Em valor, o produto mais exportado é a pera rocha”, garantiu Bruno Pereira, embora não tenham s ido divulgados valores de exportação deste produto específico, cuja história de exportação via Lidl se iniciou em 2014, após o embargo decretado pela Rússia para a importação de produtos da União Europeia, o que levou os produtores nacionais a solicitarem a ajuda da cadeia retalhista para tentar substituir a falha de exportações daí decorrente.

“O setor de frutas e legumes representa cerca de 12 milhões de euros de exportações do total de 148,5 milhões de euros conseguidos no último ano fiscal”, divulgou o administrador do Lidl Portugal.

FONTE: Jornal Económico

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.