Grande consumo abrandou em 2018

08 março 2019

As famílias portuguesas gastaram no ano passado mais 2,8% em grandes bens de consumo, num crescimento abaixo dos 4,2% registados em 2017, apontam dados publicados pela Nielsen, consultora de mercado na área do retalho.

Segundo a Nielsen, em 2018 os portugueses gastaram mais de nove mil milhões de euros. O crescimento de 2,8% nos principais itens de consumo das famílias representa um abrandamento face a 2017, ano em que os gastos aceleraram, mas fica ainda assim acima da expansão de consumo verificada em 2016 – de 2,3%, nos dados da mesma consultora.

Se em 2017 o aumento do consumo foi marcado por uma mais gastos em bebidas (mais 8,4%) e em bens para a higiene da casa (3,8%), é a alimentação que lidera nos gastos com grandes bens de consumo no ano passado. A despesa das famílias com bens alimentares subiu 3,1% – e, ainda assim, abaixo da marca de crescimento de 3,4% do ano anterior.

Já os produtos para a limpeza da casa tiveram vendas a subir 2,9%, e o aumento no consumo de bebidas ficou-se pelos 2,8%. Os gastos com itens de higiene pessoal aumentaram 1,3% (3,1% em 2017).

Na alimentação, os portugueses deram preferência aos congelados, que cresceram mais de 5%.

Quanto aos espaços de consumo, as famílias do país acorreram mais aos supers grandes, indica a Nielsen, com um crescimento de 6,7%. Os canais tradicionais também conheceram uma subida de 3,9%.

Noutras opções de consumo, os dados da Nielsen indicam que houve no ano passado um maior crescimento nas preferências por rótulos de fabricantes e menos pelas marcas de distribuição – antes chamadas marcas brancas. O consumo das primeiras cresceu 3,3%, ao passo que nas segundas o aumento ficou-se pelos 1,9%.

Já o peso das promoções no consumo manteve-se elevado, nos 47%, sendo ainda mais significativo no Natal – altura em que as promoções arrebatam as preferências de 51%.

O Natal manteve-se também como um dos períodos de maior consumo, representando um décimo do total das vendas em hipers e supermercados.

FONTE: Dinheiro Vivo

 

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Próximos Eventos

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline