Nestlé vai investir 40 milhões de euros em Portugal

15 maio 2018

Segundo o novo diretor-geral da Nestlé Portugal, o investimento operacional em causa irá ser aplicado ao longo dos próximos 18 a 20 meses, pelo que deverá estar concluído em 2020.

A Nestlé Portugal vai investir cerca de 40 milhões de euros nas suas duas fábricas em Portugal, revelou hoje, dia 14 de maio, Paolo Fagnoni, o novo diretor-geral da multinacional suíça para o mercado nacional, num encontro com jornalistas.

Segundo este responsável, o investimento operacional em causa irá ser aplicado ao longo dos próximos 18 a 20 meses, pelo que deverá estar concluído em 2020.

Paolo Fagnoni adiantou que cerca de 70% a 80% desse montante de investimento deverá ser concretizado ainda este ano e explicou que os projetos de investimento nas duas unidades fabris da Nestlé em Portugal serão na ordem dos 30 milhões de euros, sendo o restante aplicados em planos paralelos de manutenção.

“Este investimento é para modernizar as linhas de produção das duas fábricas da Nestlé em Portugal, as de Avanca para os cereais, e a do Porto, para o café. Mas também servirá para reduzir as emissões das duas unidades”, sublinhou Paolo Fagnoni.

Na fábrica de Avanca, o destaque vai para um upgrade na linha de produção de bebidas de cereais e para aumento de capacidade, bem como para apoiar conceitos de inovação em nutrição infantil.

Na fábrica do Porto, a Nestlé está a aumentar a sua capacidade de fabrico, com a produção do café Nescafé Roast & Ground, uma novidade mundial para esta marca de café solúvel tostado.

No comunicado, a Nestlé Portugal assegura que “está a trabalhar para reduzir continuamente os impacto ambientais das suas operações”, acrescentando que nos últimos cinco anos “reduziu a captação de água em 62%, as emissões de CO2 em 7,5% e os resíduos enviados para aterro em 58%, o que correspondeu a 261 toneladas”.

“Em 2018, temos a ambição de melhorar ainda mais todos os indicadores: captação de água (m3/ton) em -2%; energia (GJ/ton) em -1%; emissões de CO2 (Kg/ton) em -1% e zero resíduos enviados para aterro. Neste primeiro trimestre, a Nestlé reduziu em 85,2% os seus resíduos enviados para aterro e também a captação de água (m3/ton) foi reduzida em 5%”, destaca a referida nota.

“É mais que um compromisso, é uma obsessão nossa”, admitiu Paolo Fagnoni, referindo que a empresa iniciou agora um compromisso forte na reciclagem de plásticos e prometendo resultados neste capítulo para o final de 2018.

Além do investimento de cerca de 40 milhões de euros nas duas unidades industriais em Portugal, a Nestlé prevê investir mais de 50 milhões de euros em ‘marketing’, de acordo com estes responsável.

Segundo o comunicado em causa, “a Nestlé investiu mais de 50 milhões de euros em ‘marketing’, o que engloba os nossos investimentos em ‘media’ tradicional, ‘media’ digital e promoções aso consumidor. Em 2018, a Nestlé planeia aumentar o investimento entre 2% e 3%”.

Nestlé pode passar 500 milhões de faturação em Portugal em 2018
A Nestlé Portugal atingiu um volume de vendas de 486 milhões de euros no ano passado, mais 4,7% que no ano precedente. Se as perspetivas se concretizarem junto do intervalo superior hoje enunciado por Paolo Fagnoni, a Nestlé Portugal irá superar este ano o limiar dos 500 milhões de euros de faturação anual.

A Nestlé poderá superar a barreira dos 500 milhões de euros de faturação em Portugal durante o presente exercício.

Num encontro com jornalistas, realizado hoje, dia 14 de maio, na sede da empresa, em Linda-a-Velha, Paolo Fagnoni, novo diretor-geral da multinacional suíça para o mercado nacional, revelou que “as pespetivas para esta ano apontam para um crescimento da faturação entre 2% e 4% em relação a 2017”.

A Nestlé Portugal atingiu um volume de vendas de 486 milhões de euros no ano passado, mais 4,7% que no ano precedente.

Se as perspetivas se concretizarem junto do intervalo superior hoje enunciado por Paolo Fagnoni, a Nestlé Portugal irá superar esta ano o limiar dos 500 milhões de euros de faturação anual.

Deste montante, que representou um crescimento de 4,7% face ao ano precedente, 77 milhões de euros respeitaram a exportações.

No primeiro trimestre deste ano, a Nestlé Portugal acelerou o ritmo de crescimento, atingindo vendas de 117 milhões de euros, 6% acima do período homólogo de 2017.

“Estes resultados foram impulsionados por um sólido crescimento em volume e por variações de preço positivas em todas as principais categorias. Os negócios de ‘petfood’ [comida para animais de estimação] e ‘health science’ [nutrição clínica] voltaram a ser os mais dinâmicos, assim como o negócio de café, que apresentou um crescimento orgânico acima dos 9% em todos os segmentos (R&G [Roast & Ground, ou torrado], solúvel e cápsulas) e em todos os canais (retalho, direto ao consumidor e fora do lar)”, destaca um comunicado da Nestlé Portugal.

“Somos uma companhia relevante e o mercado [português] tem sido positivo. É uma combinação interessante, mas é um grande desafio para mim. Mantivemos, de uma forma geral, as nossas quotas de mercado, mas acelerámos as notas taxas de crescimento nos primeiro quatro meses deste ano”, destacou Paolo Fagnoni.

Este responsável destacou, contudo, que o segmento de ‘pet food’ tem estado a crescer de forma sistemática a dois dígitos e que a principal fonte de receitas para a Nestlé Portugal, em termos de valor de receita, é o segmento do café, através das marcas Nescafé, Nespresso e Sical, com uma contribuição de 45% para a faturação global da companhia em Portugal.

FONTE: Jornal Económico

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline