Taxa de desemprego afunda no segundo trimestre para 8,8%

10 agosto 2017

Impulsionada pelo Verão, a taxa de desemprego portuguesa recuou 1,3 pontos percentuais num só trimestre, caindo de 10,1% para 8,8% entre Abril e Junho, mostram os dados publicados pelo INE. É o valor mais baixo desta série, iniciada em 2011.

Como tem sido habitual nos últimos anos, o desemprego afundou no segundo trimestre. Desta vez, caiu de 10,1% para 8,8%. Foi esse o valor revelado hoje, 9 de Agosto, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A sazonalidade do mercado de trabalho parece ter tido um impacto importante nesta descida.

Recorde-se que os anteriores valores mensais do desemprego já apontavam para a continuação desta trajectória de descida. Os últimos sinalizavam uma taxa de desemprego de 9,2% e 9% em Maio e Junho, respectivamente. Os dados agora conhecidos para a totalidade do trimestre têm bastante mais informação e, ao contrário dos apuramentos mensais, não são ajustados à sazonalidade. O que significa que não excluem o impacto positivo dos chamados "empregos de Verão". Postos de trabalho criados nesta altura do ano, mas que desaparecem em Setembro e Outubro.

O impacto positivo do Verão é observável de duas formas: onde desce mais o desemprego e em que sectores é criado mais emprego. A primeira tem uma resposta simples. A maior descida da taxa de desemprego ocorreu claramente no Algarve, onde este recuou três pontos percentuais num só trimestre, de 10,6% para 7,6%. Passa, assim, a ter a segunda taxa de desemprego mais baixa do país.

Além disso, os sectores onde foi criado o emprego também mostram um forte "efeito Verão". Entre o primeiro e o segundo trimestre foram criados 102 mil empregos, com a maior parte dos sectores a registar variações positivas. Contudo, há um que se destaca: a hotelaria e restauração viu a sua população empregada disparar mais de 15%. Isto é, mais 44,5 mil postos de trabalho. A este propósito, pode também ser útil olhar para o emprego na agricultura, que aumentou 10,3% face ao trimestre anterior (mais 31 mil empregos). Uma actividade também com flutuação sazonal.

"A população desempregada, estimada em 461,4 mil pessoas, registou uma diminuição trimestral de 11,9% (menos 62,5 mil), prosseguindo as diminuições trimestrais observadas desde o 2.º trimestre de 2016. Em relação ao trimestre homólogo, verificou-se uma diminuição de 17,5% (menos 97,9 mil)", pode ler-se no destaque do INE.

No que diz respeito ao emprego, observou-se um aumento trimestral de 2,2% (102,3 mil pessoas). "Em relação ao trimestre homólogo, verificou-se um aumento de 3,4% (mais 157,9 mil), o maior desde o 4.º trimestre de 2013", acrescenta o INE.

FONTE: Jornal de Negócios

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Próximos Eventos

Redes Sociais

Top
Cookies make it easier for us to provide you with our services. With the usage of our services you permit us to use cookies.
More information