Governo vai negociar com os parceiros medidas que fizeram patrões sair da concertação social

11 maio 2022

Ministra quer imprimir celeridade à Agenda do Trabalho Digno e combater a precariedade no mercado laboral, nomeadamente, com medidas de valorização dos jovens e colocando um travão ao recurso ao trabalho temporário.

O Governo volta atrás e quer ouvir os parceiros sociais sobre medidas aprovadas em Conselho de Ministros, em outubro do ano passado, e que fizeram com que os patrões abandonassem a Concertação Social.

Em causa está a reposição dos valores pagos, antes da troika, para o trabalho suplementar acima das 120 horas e também o aumento das compensações por despedimento, de 12 para 24 dias.

Em declarações à Renascença, a ministra do Trabalho diz que quer ouvir os parceiros sociais sobre todas as medidas que fazem parte da Agenda para o Trabalho Digno.

“O nosso objetivo é, exatamente, levar à Concertação Social todas as medidas da Agenda do Trabalho Digno, incluindo aquelas que não foram discutidas e não foram apresentadas pelo Governo. E, portanto, é esse o nosso objetivo - ter toda a agenda em discussão e trazer estas medidas”, diz Ana Mendes Godinho.

Para continuar a ler esta notícia, clique aqui

FONTE: Rádio Renascença

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.