Custos da energia e matérias-primas com impacto negativo na indústria nacional

10 março 2022

Desde a cerâmica à metalurgia, passando pelo mobiliário e os transportes, a indústria nacional está a sofrer com a escalada de preços, sobretudo do gás natural.

O forte aumento dos custos da energia e das matérias-primas, instigado pelo conflito na Ucrânia, está a causar impactos negativos na generalidade da indústria portuguesa. No setor da cerâmica, por exemplo, já há empresas que suspenderam a laboração, enquanto as metalúrgicas apelam a Bruxelas que elimine as taxas de importação das matérias-primas.

Os preços do gás natural são os que mais “pesam” na indústria da cerâmica, visto que representam entre 30% e 40% dos custos de produção. As empresas que continuam a produzir têm mais prejuízos “quanto mais trabalharem”, adverte o presidente da Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e Cristalaria (APICER), Luís Sequeira, citado pelo Jornal de Negócios (ligação indisponível).

No setor do metal, os preços da luz e do gás natural ainda não provocaram paragens na produção porque muitas empresas fizeram a compra coletiva de energia promovida pela associação que representa os trabalhadores desta indústria (AIMMAP). No entanto, o vice-presidente executivo desta associação avisa que a situação não se pode prolongar.

Para continuar a ler esta notícia, clique aqui

FONTE: ECO Economia Online

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.