Reforço Programa Apoiar para empresas com quebras superiores a 50%

15 março 2021

O Conselho de Ministros aprovou o reforço dos apoios às empresas afetadas pela pandemia. O anúncio das medidas vai ser feito esta sexta-feira pelo ministro da Economia.

O Governo vai reforçar o programa Apoiar, de ajudas a fundo perdido, para empresas com maiores quebras de faturação. A medida terá efeitos retroativos.

Segundo o comunicado do Conselho de Ministros desta quinta-feira, será alargado "o apoio de tesouraria sob a forma de subsídio a fundo perdido previsto no âmbito do Programa Apoiar a atividades económicas diretamente afetadas pela suspensão e encerramento de instalações e estabelecimentos determinados pelo Decreto que regulamenta o estado de emergência, e prevê-se o aumento dos limites máximos de apoio no caso de empresas com quebras de faturação superiores a 50%, com efeitos retroativos".

O programa Apoiar, criado pelo Governo em novembro do ano passado, tem o objetivo de compensar até 20% das perdas dos setores mais afetados pela pandemia, como o comércio, a restauração, o alojamento e as atividades turísticas e culturais, que tenham registado quebras de faturação superiores a 25% em 2020 face ao ano anterior.

Além desta medida, o Executivo aprovou o alargamento dos Programa Apoiar Rendas e Apoiar + Simples aos empresários em nome individual sem contabilidade organizada, "ainda que não tenham trabalhadores por conta de outrem".

O programa Apoiar Rendas será ainda estendido "a outras formas contratuais que tenham por fim a utilização de imóveis".

O Governo vai ainda criar um "apoio direto a médias e grandes empresas do setor do turismo sob a forma de crédito garantido pelo Estado, com possibilidade de conversão parcial em crédito a fundo perdido".

Por fim, o Conselho de Ministros aprovou a criação, "no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, da medida «Compromisso Emprego Sustentável» com carácter excecional e transitório com o objetivo de promover a criação de emprego permanente e de incentivar, em particular, a contratação de jovens e pessoas com deficiência, atribuindo apoio à contratação sem termo daqueles trabalhadores".

FONTE: Jornal de Negócios

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.