Inflação em Portugal desce para 0,1%. É o valor mais baixo do euro

01 abril 2020

O crescimento dos preços em Portugal voltou a abrandar em março, sobretudo devido à quebra verificada nos produtos energéticos, que refletem a descida das cotações do petróleo nos mercados internacionais.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), revelados esta terça-feira, 31 de março, a variação homóloga do índice de preços no consumidor (IPC), caiu de 0,4%, em fevereiro, para apenas 0,1%, em março, confirmando a inversão da tendência de subida que se verificava desde o verão do ano passado.

Depois de ter atingido os 0,8%, em janeiro – o valor mais alto desde abril de 2019 – a taxa de inflação em Portugal recuou para 0,4% em fevereiro e agora para os 0,1% em março.

"Esta desaceleração traduziu sobretudo a variação homóloga de -3,1% do índice relativo aos produtos energéticos (+0,9%, em fevereiro), refletindo a evolução dos preços nos mercados internacionais associada à redução da procura deste tipo de produtos devido à pandemia e às divergências entre os países produtores de petróleo", justifica o INE.

A inflação subjacente – a chamada inflação core - que exclui os preços mais voláteis da energia e dos bens alimentares – registou uma variação nula, enquanto o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC), que permite uma comparação entre os países do euro, se fixou em 0,1%, uma descida face aos 0,5% de fevereiro.

Este valor foi o mais baixo entre os países da Zona Euro, e que foi registado não só por Portugal, como também por Itália, Grécia e Chipre, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat, na estimativa rápida para o mês de março.

No conjunto dos países da moeda única, a taxa de inflação recuou de 1,2% para 0,7%, em linha com as estimativas dos economistas.

Também neste caso, foi a energia a pesar na evolução dos preços, com uma quebra de 4,3% face a março de 2019, depois da descida ligeira de 0,3% de fevereiro.

Nos alimentos, álcool e tabaco a variação homóloga foi de 2,4%, nos serviços de 1,3% e nos bens industriais não energéticos de 0,5%.

Do lado oposto aos países do sul estão os Estados mais a leste, que registaram as taxas de inflação mais altas em março. É o caso da Eslováquia (2,5%), Lituânia (1,7%) e Letónia (1,4%).

Os dados definitivos referentes a Portugal serão publicados pelo INE no próximo dia 10 de abril. O organismo nacional de estatísticas volta a alertar que, embora "esta informação sobre o mês de março traduza já algum impacto da pandemia COVID-19, é possível que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente".

FONTE: Jornal de Negócios

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Próximos Eventos

Não existem eventos programados!

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.