Número de novas empresas aumentou quase 20% em Portugal

07 fevereiro 2019

Lisboa e Porto foram as cidades que receberam mais empresas novas, mas foi a Horta a cidade que registou o maior crescimento

Janeiro arrancou com mais 6.333 empresas em Portugal. Um crescimento de 19,8% em relação ao mesmo mês do ano passado.

De acordo com um estudo da Iberinform, as duas grandes cidades ficaram nos primeiros lugares do ranking. Lisboa ocupou o primeiro lugar com a constituição de 1.974 novas empresas, mais 8,7% do registado no ano passado na mesma cidade. O Porto ficou em segundo lugar no que toca ao número de empresas, mas ultrapassou a capital em termos de crescimento. Na cidade Invicta foram constituídas 1.146, um aumento de 17,3% face ao mesmo mês de 2018.

No entanto, algumas cidades ultrapassaram Lisboa e Porto no que diz respeito ao crescimento e a Horta ganhou em larga vantagem com um crescimento de 150% face a janeiro de 2018. Segue-se Castelo Branco com mais 83,3% e Évora com 63%. No final do top encontram-se cidades onde a percentagem se encontra abaixo do ano passado, Vila Real contou com a constituição de menos 8,1% de novas empresas, enquanto Madeira, que reduziu de 144 para 137, diminuiu 4,9%. Angra do Heroísmo foi a única que manteve o mesmo número de novas empresas: 17.

Ao avaliar este crescimento por setores, a Iberinform avisa que todos apresentam um crescimento positivo, sendo que o maior aconteceu nos transportes que passou de 188 novas empresas para 393, um aumento de 109% em comparação com o ano passado. "O setor Outros Serviços registou um total de 2.804 novas empresas, mais 12,2% que em 2018, enquanto a Construção e Obras Públicas viu nascer 832 empresas, o que traduz um aumento de 49,6%. As atividades de Hotelaria e Restauração surgem na terceira posição em termos absolutos, com 592 novas constituições e um aumento de 5,3% face a janeiro de 2018", pode ler-se no relatório.

Insolvências
No mês de janeiro, as ações de insolvência aumentaram 7,4%, "embora as insolvências requeridas (DIR) tenham decrescido de 122 em 2018 para 89 (-27%) e as ações de insolvência apresentada (DIA) tenham baixado de 133 para 112 (-15,8%)", diz o comunicado.

Lisboa e Porto voltam a estar em destaque com o maior número de insolvências, 103 e 134 respetivamente. Uma diminuição de 10,4% na capital e um aumento de 21,8% na cidade do norte.

Bragança, Coimbra e Faro registaram os maiores aumentos de insolvências, 150%, 122,2% e 66,7% respetivamente. "Há reduções a registar em sete distritos (31,8% dos distritos nacionais) que representam 28,1% do número total de insolvências no período em análise. Esses distritos são: Évora (-70%), Lisboa (-10,4%), Santarém (-9,1%), Viana do Castelo (-12,5%), Vila Real (-66,7%), Viseu (-54,5%) e Ponta Delgada (-33,3%)", esclarece o comunicado.

A eletricidade, gás e água registam uma diminuição de 100%, o comércio grosso de 27% e Construção e Obras Públicas de 11,9%. Os maiores aumentos estão na Agricultura, Caça e Pesca, com mais 75%, Indústria Transformadora com mais 36% e Outros Serviços com mais 31%.

FONTE: IOnline

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline