Setor público nacional demora 86 dias a pagar faturas

13 junho 2018

Em média, o setor público nacional demora 86 dias a regularizar o pagamento de faturas, ficando apenas atrás de Itália, segundo revela o Intrum European Payment Report 2018.

Portugal é o segundo país da Europa onde o Estado demora mais a pagar faturas, ficando apenas atrás de Itália. De acordo com os resultados do European Payment Report 2018, o relatório anual da Intrum que analisa o comportamento de pagamentos das empresas e do Estado, o setor público nacional demora, em média, 86 dias pagar faturas.

O relatório da Intrum revela que, dos 29 países europeus inquiridos, só a Itália paga mais tarde (com uma média de 104 dias) do que Portugal, sendo que o situação financeira difícil é a causa mais apontada para atrasos de pagamentos e o setor público não cumpre diretiva europeia dos atrasos de pagamento.

Ainda assim, Portugal conseguiu diminuir o prazo face aos 95 dias em 2017, mantendo a tendência de redução dos últimos cinco anos. Luis Salvaterra, diretor-geral da Intrum Portugal, diz estar, por isso, “otimista” e acreditar “que o Estado português esteja a fazer um esforço, no sentido de alterar o seu comportamento face aos prazos de pagamentos”.

“Mesmo assim, continuamos a verificar que há entidades públicas que não cumprem o que está estabelecido na diretiva europeia para os atrasos de pagamento, que estabelece que o setor público deve pagar os bens e serviços no prazo de 30 dias”, acrescentou.

A média europeia de pagamentos no setor público situa-se nos 40 dias, tendo diminuído um dia face aos 41 dias médios no período homólogo de 2017.

Do lado dos Estados mais rápidos a pagar faturas a lista é liderada pela Letónia, país que se posiciona como tendo o setor público mais cumpridor em matéria de pagamentos, com uma média de 18 dias. Seguem-se o Reino Unido a 23 dias, República Checa, Estónia, Dinamarca e Finlândia a 25 dias, Noruega a 26 dias e Eslováquia, onde o setor público paga a 29 dias.

Dos 29 países que a Intrum inquiriu para o European Payment Report 2018, apenas estes oito cumprem a diretiva europeia e pagam a menos de 30 dias os compromissos a fornecedores.

No que diz respeito às causas dos atrasos de pagamentos, 72% dos inquiridos nacionais apontam a situação financeira dos clientes como o principal motivo. A percentagem fico acima da média europeia de 62%. Segue-se o atraso de pagamento intencional (59%) das empresas que responderam ao inquérito, valor também superior à média europeia (48%).

A ineficiência administrativa dos clientes é igualmente apontada como uma das principais causas para os atrasos de pagamentos. Um motivo que teve um crescimento significativo em Portugal, passando dos 49% em 2017, para 55% em 2018, valor também superior à média europeia que se situa nos 45%. “A ineficiência administrativa poderá estar relacionada com a falta de contratação de mais trabalhadores nas empresas e a existência de procedimentos adequados”, de acordo com o relatório.

FONTE: Jornal Económico

Associadas

Parcerias

Objectivos

‘‘Os objectivos da ANIL centram-se na defesa dos interesses e representação do sector, no acompanhamento das matérias legislativas, normativas, ambientais, económicas e técnicas que contribuam para o desenvolvimento da indústria láctea em Portugal...

Calendário

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Redes Sociais

Top
ATENÇÃO: Este site apenas usa os cookies para lhe facilitar a navegação enquanto utilizador.
Saiba mais sobre cookies OK Decline